quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Algumas Crianças de Canavieiras na Primeira Metade do Século XX




Claudenice Baptista Mello em 
28-02-1947  com  3  anos  - 
Canavieiras-BA
 

Canavieiras, a Princesinha da Costa do Cacau, a mais linda e conservada cidade do do tempo dos antigos coronéis do cacau, no sul do Estado da Bahia, ainda se lembra de suas crianças da primeira metade do Século XX, quando a cidade ainda tinha muito dinheiro e comandava a política do sul do estado e influenciava os governantes que se instalavam em Salvador, tudo isso pelo simples poder do dinheiro.

Isis em 26-04-1948 - Canavieiras-BA


Hoje, depois de tantos anos, a cidade de Canavieiras se modificou e se transformou, vivendo, atualmente, mais com o dinheiro do turismo, do que com o dinheiro proveniente da cultura do cacau e, essas crianças, com o passar do tempo, talvez tenham crescido e se tornado pessoas que tenham influenciado, de alguna forma, a vida da cidade ou talvez, tenham partido para outras paragens.



Sidney Souza Magnavita em 1943
 - Canavieiras-BA 








terça-feira, 29 de setembro de 2020

Conservando a Memória de Canavieiras VI - O Mais Antigo Açougue Municipal da Cidade




Primeiro Açougue Municipal de Canavieiras -
 1900  -  Praça João Pessoa  -  Atual Praça do 
Cacau  -  Foto Original  - Autor Desconhecido


Primeiro Acougue Municipal de Canavieiras -
1900  -  Praça João Pessoa  -  Atual Praça do
Cacau - Foto Restaurada por Regis Silbar



Primeiro Açougue Municipal de Canavieiras -
1900  -  Praça João Pessoa  -  Atual Praça do
Cacau  -  Foto Restaurada  e  Colorizada por
Regis Silbar

sábado, 29 de agosto de 2020

Eu Amo Canavieiras

Painel com o nome Canavieiras na entrada do entrocamento 
 que leva à cidade - Foto de Regis Silbar 


Canavieiras merecia que houvesse em seu centro urbano um painel bem bonito e charmoso, com o nome da cidade e uns dizeres bem típicos para as pessoas que amam a cidade, como por exemplo "EU AMO CANAVIEIRAS", que poderia ficar em um local de fácil acesso e bem visível  para todos que visitassem a cidade. Um local ideal seria o Cais do Porto, naquela grande área de pararelepípedos, bem em frente ao Rio Pardo, que fica no lado direito da Rua do Brejo, no Centro Histórico.

Painel com o nome Canavieiras em frente à Rodoviária da 
cidade - Foto de Regis Silbar

É claro que todos que vinhessem conhecer a cidade iriam tirar uma foto em frente ao painel com os dizeres "EU AMO CANAVIEIRAS" para guardar de recordação e também para mostrar aos seus amigos e parentes, além do mais, todos saberiam, sem perguntgar, onde as fotos foram tiradas e, talvez, pelo nome ficar na memória, tivessem vontande de conhecê-la. 

Em Canasvieiras, um bairro de Florianópolis,  quase xará de Canavieiras, há um painel "Eu Amo Canasvieiras", onde todos fazem uma foto quando vão visitar o famoso bairro do norte da Ilha da Magia. 

Painel  "Eu Amo Canasvieiras"  no Bairro do mesmo nome, 
no norte da Ilha da Magia, em Florianópolis - Foto de Regis
 Silbar


sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Porque a Igreja Presbiteriana de Canavieiras Não Tem Uma Cruz em Sua Torre

Igreja Presbiteriana de Canavieiras
Igreja Presbiteriana de Canavieiras sem uma
cruz  no alto  de sua torre - Canavieiras-BA -
 Foto de Regis Silbar 

Há um tempo atrás entrei em contato com a Igreja Presbiteriana de Canavieiras, através de email endereçado ao reverendo, para perguntar porque nessa igreja não existia uma cruz no alto de sua torre, já que uma grande maioria das igrejas presbiterianas a usam em sua fachada ou no alto da torre, se houver torre na igreja.

A minha indagação ficou sem resposta, talvez por desconhecerem que igrejas presbiterianas em outras regiões do Brasil a usam e, por isso, a minha indagação talvez tenha sido interpretada como de mau gosto, mas não era, pois era apenas para saber sobre a ausência deste símbolo cristão no alto de sua torre.

A minha dúvida, como também a de muitas outras pessoas, continuou até que tive a iniciativa de escrever para a Igreja Presbiteriana Central de Itajaí onde também pude expor a minha dúvida e da mesma obtive uma resposta com brevidade.

Abaixo transcrevo o meu email e a resposta dada pela igreja, pois acho importante que todas as péssoas saibam, independentemente de serem presbiterianas ou não, o motivo de existir uma cruz ou não na fachada ou na torre de uma igreja presbiteriana.


  1. Igrejas Presbiterianas catarinenses costumam colocar uma cruz no alto de sua fachada frontal, enquanto outras igrejas presbiterianas em outros lugares do Brasil não a colocam. Por que esta diferenciação entre elas quanto ao uso da cruz? depende de cada pastor quando da construção da igreja ou há alguma regra?

    regissilbar

    ResponderExcluir

  2. Olá, meu amigo! Primeiramente perdão por demorar respondê-lo...

    Bem.. essa questão da cruz na arquitetura de templos presbiterianos não possui uma regra. Geralmente, isso está vinculado aos próprios costumes da comunidade local ou da região.

    Nossa igreja, por exemplo, possui cruzes na torre e uma no interior do templo. As outras igrejas presbiterianas de nossa cidade seguem o mesmo modelo. Em Goiás, as cidades do interior costumam ser mais tradicionais no tocante à arquitetura. Em Goiânia, por exemplo, já não é costume ver igrejas presbiterianas com torres, cruz e etc.. existem algumas, mas não é comum.

    Segundo a tradição presbiteriana, é conivente colocar cruzes nos templos mas, na prática, isso varia de comunidade local para comunidade local.

    Espero ter respondido sua dúvida. Qualquer coisa, estou aberto a mais perguntas ou a ser mais específico.

    Abraços em Cristo.

    Att,
    Christofer Cruz
    Secretário

  3.           Responder



quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Antigas Bandas Escolares de Canavieiras

 Componentes da Banda Marcial do CEOB - 27-09-1963 - 
Canavieiras-BA


Canavieiras é uma cidade com características típicas de uma cidade do interior e,  devido a isso, cada escola tem a sua banda marcial que desfila em dias festivos pelas ruas da cidade, sempre observadas pelos moradores, já que na cidade não tem muito o que se apreciar durante boa parte do ano.

Quando os alunos de uma escola desfilam, devidamente paramentados com os seus uniformes de gala, ao som da música de uma banda marcial, o som da música da banda marcial é ouvida por toda a cidade, pois na maioria das vezes a calmaria e o silêncio permanecem como rotina em todos os cantos da cidade.

Banda  Marcial de Escoteiros para o desfile dos alunos da Escola do
Lions Clube - Década de Cinquenta do Século XX - Canavieiras-BA


Em meados do século passado, essa bandas marciais tinham a missão de capitanear a atenção dos moradores para os desfiles, que às vezes eram bastantes surreais, com diversos alunos desfilando, em duas ou três filas indianas e nenhum espectador observando o desfile.

Mas, mesmo assim, as escolas desfilavam pelas ruas da cidade e, um dos motivos principais para os tais desfiles eram receber políticos que desembarcavam no Campo de Aviação para inaugurar alguma obra na cidade ou apenas para puxar o saco deles, sendo que as crianças eram obrigadas a participar do recebimento dos políticos sob pena de punição se não comparecessem.  

Banda Marcial do Educandário São Boaventura - a escola mais 
tradicional da cidade - Final da Década de Cinquenta do Século
XX - Canavieiras-BA

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Casas Comerciais de Canavieiras na Década de 1940



Casa Natal em uma esquina da Rua da Jaqueira no ano de 1948
 - Canavieiras-BA


Canavieiras, na década de quarenta do século passado, já tinha um comércio bastante diversificado, com muitas lojas que vendiam os mais variados artigos, inclusive artigos importados, pois os coronéis do cacau exigiam artigos sofisticados de primeira qualidade, pois dinheiro não faltava para comprá-los.

Além disto, Canavieiras era o centro de toda uma região que se estendia até o interior de Minas Gerais e precisava de lojas para que todos os clientes, que vinham dos lugares mais distantes fossem atendidos e saissem satisfeitos.
Em 1948 a Casa Carioca vendia calçados, chapéus 
roupas  feitas  e ficava na Rua Treze em Canavieiras


Na década de quarenta do século passado, o comércio era concentrado no Cais do Porto, pois era no porto que a vida da cidade de desenvolvia e era por ali que ela se comunicava com o resto do mundo e recebia as mercadorias que preciava e exportava o que o mundo queria: o precioso cacau que era plantado às margens do Rio Pardo.

Tudo o mais era festa, os clientes procuravam as lojas e as lojas vendiam e tudo seguia no seu ritmo normal e o mais importante era que nas lojas de Canavieiras se encontrava de tudo e a variedade era muito grande, inclusive o mais refinado café que agradava a todos pelo o seu sabor, aroma e delicadeza.
Casa de venda de cafés em 1946 - A variedade de 
cafés era grande  e os  freguezes  sempre  ficavam 
satisfeitos - Canavieiras-BA













quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Identificação de Um Lugar do Passado em Canavieiras


Dois supostos atletas fotografados em uma rua de Canavieiras
em que todos os prédios foram demolidos, portando um lugar
de difícil identificação 



Esta fotografia, embora tendo sido feita em Canavieiras, a mais rica cidade do Estado da Bahia nos tempos áureos do cacau, foi muito difícil de identificar em que lugar ela foi feita, pois não havia nenhuma pista para visualizar o seu local exato, pois a cidade se modifica e se transforma através dos tempos, às vezes para melhor, às vezes para pior.

Demorei muito tempo, ou melhor, muito anos para saber onde ela tinha sido feita, mas finalmente descobrir, em um golpe de sorte, usando apenas a memória residual de minha mente.

Construção do  Cais do  Porto no Rio Pardo  -  Canavieiras-BA  - 
Com os mesmos casarões da foto anterior ao fundo, embora hoje
estejam todos eles demolidos, inclusive os belos palacetes


Ao passar por uma fotografia antiga que documentava a construção do Cais do Porto, na margem do Rio Pardo em que está estabelecida a cidade, verifiquei, com surpresa as construções que há muito tempo estava procurando e não conseguia achar andando pelas ruas da cidade.

Ora, não conseguia achar por um motivo mais do que óbvio, todas as casas que constavam nas fotos foram demolidas e, por isso, era impossível encontrá-las, mesmo as procurando com o maior cuidado.

Este é o local onde estava situado os casarões que aparecem na 
primeira e segunda foto,  hoje demolidos e,  em seu lugar,  foram
construídas casas populares humildes  que,  em nada lembram as
antigas e belas construções.



Finalmente, pude descobrir que a primeira foto postada foi tirada na Praça da Bandeira, esquina com com  o Cais do Porto, na continuação da Rua Rosalvo da Silva Freire, provavelmente na década de 1930 ou 1940, antes, portanto, da construção do armazém onde eram guardados as sacas de cacau para exportação e também da construção do antigo Hotel do Porto, em frente à Ponte do Lloyd.

Mas, se observarmos a foto com melhor cuidado, podemos afirmar que o fotógrafo estava plantado no terreno onde hoje está situado o antigo Hotel do Porto e, os fotografados a meio caminho entre o terreno do hotel e os belos casarões hoje demolidos.

Lugar onde os dois rapazes foram  fotografados:  o retângulo azul-
anil indica o lugar onde estavam os casarões que foram demolidos,
o círculo da cor azul-anil indica a posição do fotógrafo. Os rapazes 
estavam  entre  o círculo  e o retângulo -  Mapa de  parte do Centro
Histórico de Canavieiras-BA