quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O Vapor Javary - O Primeiro Grande Navio a Entrar no Porto de Canavieiras

O Vapor Javary - Primeiro Grande Navio a Entrar
 no Porto Grande, em Canavieiras - Na Foto Está
Ancorado no Porto de Corumbá-MT
Provavelmente foi em algum dia do ano de 1920 que o vapor Javary do Lloyd Brasileiro entrou pela barra e seguiu festivamente em direção ao Porto Grande em Canavieiras.

À sua espera estava cerca de duas mil pessoas, todas vestidas com roupas de festa, aguardando ansiosamente a sua chegada e ancoragem no Porto Grande, nas águas do Rio Pardo.

Até então só pequenos navios podiam passar pela barra em direção ao porto da cidade, já que era consenso entre os comandantes de navios que a barra que davam acesso ao porto de Canavieiras era intransponível para navios de maior calado.

O Lloyd Brasileiro mesmo assim se interessou e construiu a ponte de atracação que hoje leva o seu nome e, assim, o Javary, todo iluminado, passou pela intransponível barra e foi recebido pela população enquanto a Filarmônica Vinte e Cinco de Maio tocava animadamente para abrilhantar o acontecimento.

O vapor Javary, de 1295 toneladas, foi construído em 1907 e desmantelado em 1937, mas durante a sua curta existência ele navegou bastante pelas costas do Brasil e proporcionou muitas alegrias por onde passou.  

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Boto-Cinza, o Golfinho das Águas do Estuário do Rio Pardo, em Canavieiras

Sotalia Guianensis, o Boto-Cinza, Abundante nas
 Águas do Estuário do Rio Pardo em Canavieiras

Nas águas tranquilas do estuário do Rio Pardo, em Canavieiras, o Boto-Cinza, com o seu majestoso salto mortal, reina absoluto, dando aos olhos uma oportunidade única de apreciar uma espécie ameaçada de extinção.

O seu nome científico é Sotalia guianensis, o nome guianiensis foi atribuído à espécie por ter sido no território da Guiana Francesa que ela foi observada e descrita pela primeira vez.

Mas nas águas do Rio Pardo o boto-cinza é visto com muita frequência, principalmente no trecho entre o Porto Grande e a foz do rio. Um lugar privilegiado para a sua observação é a Ponte do Lloyd, que avança rio adentro, até um ponto ideal para uma melhor observação.

Embora o nome popular seja boto-cinza, o boto-cinza não é propriamente um boto, mas sim uma espécie de golfinho que povoa as costas das américas de Honduras até uma parte do sul do Brasil.

O boto-cinza é de fácil observação, pois o seu tamanho é, em média, de dois metros de comprimento. Assim, não é necessário chegar muito perto do animal para uma atenta observação.

Quando você for a Canavieiras, não deixe de contemplar o boto-cinza, o golfinho que povoa as água tranquilas do Rio Pardo, em Canavieiras. Você terá um bom assunto para comentar durante um bom tempo.   

domingo, 9 de julho de 2017

Primeira Igreja Batista de Canavieiras



Primeira Igreja Batista de Canavieiras - Rua do
Brejo - Foto de Regis Silba


A Primeira Igreja Batista de Canavieiras foi fundada em 18 de novembro de 1955, sendo atualmente uma das principais igrejas da cidade, tanto pelo número de fiéis como também pelos trabalhos sociais que realiza.

Ela está localizada em uma esquina da Rua General Pederneiras, antiga Rua do Brejo, justamente no final do quadrilátero que demilita o Centro Histórico da cidade.

Esta igreja veio para o Brasil a partir de imigrantes americanos que deixaram os Estados Unidos logo após o término da Guerra de Secessão e se estabeleceram no Estado de São Paulo e onde fundaram uma Igreja Batista para Estrangeiros em Santa Bárbara do Oeste.

No entanto a Primeira Igreja Batista do Brasil foi fundada em Salvador, capital da Bahia, em 1882. Esta igreja, diferentemente da fundada em Santa Bárbara do Oeste, que era direcionada a estrangeiros, isto é americanos, era direcionada a brasileiros e, por este motivo, foi considerada a primeira do Brasil.

O lema da Primeira Igreja Batista de Canavieiras é a seguinte: "Nossa missão é fazer discípulos de Jesus Cristo, e servi-lo fielmente, servindo ao próximo."    

Interior da Primeira Igreja Batista de Canavieiras -
 Rua do Brejo - Foto de Regis Silbar





















segunda-feira, 26 de junho de 2017

Um Engraxate no Centro Histórico de Canavieiras em Meados do Século XX

Engraxate na Esquina da Rua Mal. Deodoro com
o Beco do Progresso - Canavieiras-BA - no Final
da Década de 60 ou Início da de 70 do Século XX
 
No Centro Histórico de Canavieiras, existia, em meados do século passado, um profissional da graxa, escova e flanela que fazia os sapatos dos clientes brilharem como se fossem novos.

O ponto onde ele se instalara, Rua Marechal Deodoro esquina com o Beco do Progresso, era muito bom, ou melhor, ótimo, pois era no beco que se concentrava uma grande parte dos serviços de Canavieiras, como por exemplo alfaiatarias, barbearias, ourivesarias, relojoarias e outros tipos de comércio relacionados a serviços.

Assim ele estava situado em um ponto em que havia uma grande concentração de pessoas que poderiam ser clientes em potenciais e, por isso, talvez, tenha sido compensador trabalhar na profissão.

    

domingo, 25 de junho de 2017

Rua Marechal Deodoro - Centro Histórico de Canavieiras

Rua Marechal Deodoro, Entre a Praça do Cacau e a
Praça da Cesta,  no Centro Histórico de Canavieiras
 Foto IBGE - Década de Quarenta ou Cinquenta do
Século XX

A Rua Marechal Deodoro, cujo nome homenageia o primeiro militar golpista do Brasil, fica no Centro Histórico de Canavieiras, entre a Praça do Cacau e a Praça da Cesta.

Ela é composta, principalmente por prédios muito bem conservados em estilo "Art Nouveau", formando uma bela composição arquitetônica e embelezando o Centro Histórico da cidade.

Rua Marechal Deodoro no Centro Histórico de
Canavieiras - Desfile de Bloco Carnavalesco de
Senhoras no Ano de 1937

Por estar no Centro Histórico da cidade, a Rua Marechal Deodoro sempre foi uma das mais usadas para fins de atividades cívicas e recreativas, sendo que sempre foi uma das preferidas para os desfiles de blocos carnavalescos.

Além disto ela foi muito usada para fins políticos, já que os comícios realizados no século XX, eram quase todos feitos no coreto da Praça da Cesta, que era um palanque natural para tais atos e, por isto, as comitivas transitavam através da rua Marechal Deodoro até o coreto da praça.

Rua  Marechal  Deodoro  no  Centro  Histórico  de
Canavieiras - Bloco  Musical  Carnavalesco  -  Data
Provável: Décadas de Vinte ou Trinta do Século XX

Juscelino Kubitschek, quando candidato à presidência da república, esteve, em 1955, na Rua Marechal Deodoro, no Centro Histórico de Canavieiras, quando passou em direção ao coreto da Praça da Cesta, que serviu de palanque ao seu comício presidencial.

É por tudo isto que a Rua Deodoro foi e ainda continua ser uma das principais e tradicionais ruas de Canavieiras. Ela foi muito importante no passado e ainda continua muito importante no presente.

Rua Marechal Deodoro Vista da Praça do Cacau -
Centro Histórico de Canavieiras - Foto Realizada
por Regis Silbar em 2017





quinta-feira, 22 de junho de 2017

Tropilha de Jumentos na Zona Rural de Canavieiras na Primeira Metade do Século XX


Tropilha de Jumentos na Zona Rural de Canavieiras
 em 1938

Em Canavieiras, nas primeiras décadas do século XX, havia ausência total de estradas no município. Todo o deslocamento era feito por rios, através de canoas e barcos, pelo porto, através de navios e no aeroporto, por aviões de carreira e aeronaves particulares.

Quem queria se deslocar pelo interior do município não tinha outro meio a não ser através da garupa de animais que, na maioria das vezes era o jumento, animal abundante e que era usado para o transporte da safra de cacau pelo interior do município.

No início do século passado Canavieiras era um município de enormes dimensões, incluindo em seu território os atuais municípios de Una, Santa Luzia, Camacan, Mascote, Pau Brasil, Arataca, Itapebi e Potiraguá. Todos esses municípios, que eram parte de Canavieiras na primeira metade do século XX, não passavam, naquela época, de pequenas povoações, sendo que algumas não tinham mais do que meia centena de casas. Também não tinham estradas e, na maior parte delas, o único meio de transporte era o lombo dos jumentos.

Ao invés de estradas, as trilhas serviam de caminhos e por elas os jumentos transitavam transportando passageiros e mercadorias, movimentando a precária economia do interior do município.

domingo, 11 de junho de 2017

As Águas Límpidas e Transparentes das Praias de Canavieiras

Praia da Costa - Ilha de Atalaia - Canavieiras-BA -
Foto de Regis Silbar

As praias de Canavieiras, todas elas situadas nas suas inúmeras ilhas marítimas, são de uma grande beleza. Elas são selvagens, com vegetação típica de restinga e uma grande quantidade de aves que se alimentam dos frutos provindos da variada vegetação de sua extensa costa marítima e fluvial.

As suas águas são claras, límpidas e transparentes, além de amenamente mornas, prontas e preparadas para as pessoas se deleitarem em banhos e mergulhos depois de um maravilhoso banho de sol. 

Praia da Costa - Ilha de Atalaia - Canavieiras-BA
 - Foto de Regis Silbar

As praias são ensolaradas em quase todos os dias do ano, mesmo quando chove à noite ou amanhece chuvendo, o sol não demora a brilhar no céu, dando um toque de alegria e aquecendo as areias claras e lavadas pelas marés altas.

A paisagem com coqueiros balançando ao vento leva a uma felicidade que envolve quem está admirando o balançar das águas ou o navegar das embarcações de pesca que pontilham no horizonte.  

Praia da Costa - Ilha de Atalaia -
Canavieiras-BA - Foto de Regis Silbar