quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Dom Justino José de Sant'Anna, o Padre que Iniciou as Obras da Igreja Matriz de São Boaventura em Canavieiras

 

Dom Justino José de Sant'Anna  circulado  por membros
do Apostolado da Oração de Canavieiras - Foto de Autor
Desconhecido  -  Final  da  Década  de  40  ou  início  da 
Década de 50 do Século XX  -  Foto na escadaria frontal
da Igreja de São Boavenura - Canavieiras-BA


Embora tenha colocado o título de Dom para o Padre Justino José de Sant'Anna no título do artigo, isso se justifica em razão de que, quando ele veio a falecer em Juiz de Fora em 09 de julho de 1958, ele já possuia este título por ser o primeiro bispo de Juiz de Fora em Minas Gerais.

Ele foi pároco da cidade de Canavieiras de 1912 a 1924, iniciando, sob suas ordens, as obras da nova Igreja Matriz de São Boaventura alavancadas através de doações e donativos que foram ofertados pelos poderosos coronéis do cacau e outras figuras eminentes da sociedade local que, ansiosos em ter os seus nomes divulgados como grandes doadores, não poupavam esforços para cooperar.

Ele, quando foi nomeado Bispo da Igreja Católica na nova Diocese de Juiz de Fora, em Minas Gerais, na qual foi o primeiro bispo, deixou Canavieiras, depois de doze anos construindo a Igreja de São Boaventura, que já estava quase concluída, faltando apenas o seu acabamento interior e alguns outros acabamentos, tais como vitrais, altares e o mobiliário interior. As imagens sacras foram as mesmas que já estavam sendo veneradas na antiga Igreja, na Praça da Bandeira, hoje demolida,


Dom Justino José de Sant'Anna   -   Padre 
em  Canavieiras - 1912-1924 - Construtor 
inicial da Matriz na Praça São Boaventura


Segundo a tradição ele foi nomeado bispo em Juiz de Fora pelo papa Pio XI, principalmente por sua iniciativa em construir a nova Igreja Matriz de São Boaventura em Canavieiras, o que demonstrou o seu espírito de iniciativa e liderança, o que contava e ainda conta muitos pontos para a Igreja Católica.

Toda a área do terreno da Igreja de São Boaventura, inclusive de seus anexos, como a Casa Paroquial foram doados pela Prefeitura de Canavieiras, através de resolução aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal, além disso, toda a Praça de São Boaventura e as vias que a circundam são de propriedade da igreja pois elas fizeram parte da doação feita pela prefeitura e aprovada pela Câmara Municipal.

Dom Justino era tão empreendedor que, quando bispo em Juiz de Fora lançou a construção da nova Catedral de Juiz de Fora  com um livro de ouro para as doações; em 1º de março de 1926, lançou a criação do Seminário Diocesano Santo Antônio, em frente à Academia de Comércio; em 1º de março de 1926 criou o jornal “O Lampadário”; em 05 de junho de 1928 fez o lançamento da pedra fundamental do novo prédio para os Seminário Santo Antônio, agora na Avenida Barão do Rio Branco, nº 4516 e em 15 de abril de 1929 fez o lançamento da pedra fundamental da Capela do Seminário. 


Monumento  em homenagem a
Dom Justino José de Sant'Anna
 em Juiz dd Fora-MG

 
Em Canavieiras, além de construir a Igreja Matriz de São Boaventura ele fundou o periódico "A Verdade", no qual procurava, através do periódico, desenvolver o seu apostolado. Ele foi um grande padre, uma grande pessoa e um grande empreendedor.

Ele voltou a Canavieiras por diversas vezes, inclusive  para a inauguração da Igreja Matriz de São Boaventura, que foi construída por sua iniciativa. Ele  teve participação, em 5 de julho de 1932, na missa solene de dedicação, significando a inauguração oficial do templo, com a participação de toda a sociedade de Canavieiras.

Ele nasceu em Aramary, no Estado da Bahia, em 12 de dezembro de 1878 e faleceu, com oitenta anos,  em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 9 de julho de 1958. Está sepultado em um jazigo na Catrdral Metropolitana de Juiz de Fora. Há um monumento em Juiz de Fora em sua homenagem.


Dom Justino de José Sant'Anna, quando
bispo de Juiz de Fora-MG 



Texto elaborado com alguns dados fornecidos pelo Sr. Oslan Ribeiro.

sexta-feira, 4 de junho de 2021

A Construção em 1988 da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil em Canavieiras



Fiéis com o pastor em frente à Igreja Presbiteriana 
Renovada do Brasil ainda em construção  na  Rua 
Vereador José Reis, 97  no  Tancredão  no  ano  de 
1988 - Canavieiras-BA
 

A construção da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil em Canavieiras aconteceu nos anos finais da década de 80 do Século XX. Ela foi uma das primeiras igrejas desta denominação que até então contava com poucos fiéis, em razão da igreja estar nos primeiros anos de sua existência.

Esta igreja foi fundada em 1975 com a fusão de duas outras denominações, sendo uma a Igreja Cristã Presbiteriana e a outra a Igreja Presbiteriana Independente Renovada.

Em Canavieiras a Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil está instalada na Rua Vereador José Reis, 97, no bairro Tancredão, em uma construção simples, sem nenhum luxo ou ostentação, para atender aos fiéis deste humilde bairro da periferia da cidade.

Hoje em dia o templo está pronto recebendo os fiéis para os cultos e recebendo também, como visitantes, pastores de outras cidades para palestras e participação em seus cultos. 


Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil nos dias
 atuais (2021) - Canavieiras-BA


Hoje: Dia 05-06-2021 - 115º Aniversário da Igreja Presbiteriana de Canavieiras

 

Igreja Presbiteriana - Canavieiras-BA
- 09-01-2015 - Foto de Regis Silbar


Fundada em 5 de junho de 1906, a Igreja Presbiteriana de Canavieiras, situada na Rua Treze, no Centro Histórico da cidade, foi a quarta igreja da mesma congregação organizada no Estado da Bahia e a primeira em todo o sul baiano.

A sua igreja, uma das construções mais bonitas da cidade, foi construída aos poucos, sendo que a torre, foi a última parte da igreja a ser construída, tendo no seu topo apenas num marco, ao invés de uma cruz como a maioria das igrejas presbiterianas do Brasil preferem colocar.

Na década de cinquenta do século XX houve muitas disputas entre os fiéis da igreja católica e os fiéis da igreja presbiteriana, sempre com muita repercursão na sociedade, mas isso é coisa do passado e agora todos vivem em paz, cada um com a sua crença.

A Igreja Presbiteriana, a partir da construção de sua torre, foi sempre um ponto de referência na cidade. Quando chegamos de barco, vindos de Belmonte ou de outras regiões ao sul, a primeira construção que vemos, ainda bem distante, é a torre da igreja, avisando que já estamos perto de chegar à cidade.  



quinta-feira, 3 de junho de 2021

Como é Lindo o Cais do Porto de Canavieiras

 


Detalhe  do  casario  do  Cais  do  Porto,   uma  das 
preciosidades de Canavieiras - Foto de Regis Silbar 


O Cais do Porto de Canavieiras, com os seus casarões centenários, muito bem cuidados entre a Rua do Brejo e a Praça da Cesta, fazem parte do cenário turístico da cidade, dando ao turista, a oportunidade de admirar um dos mais belos cenários de um movimentado cais do porto do tempo em que o cacau imperava como uma das grandes riquezas da Bahia.

É muito gratificante se ver um conjunto original tão bem conservado e tão belo, digno de muitos cliques fotográficos que irão servir de lembraças para toda uma existência de pessoas que tiveram a oportunidade de conhecer Canavieiras, a Princesinha da Costa do Cacau.

Muitas pessoas pensam que essas maravilhas não existem mais, que já foram demolidas ou que, com o passar dos tempos, viraram ruínas, mas em Canavieiras, tudo ainda continua como antes, com todas as suas lojas de tecidos, secos e molhados e de compra e venda de cacau transformadas em bares e restaurantes para a alegria das pessoas que vêm conhecer a cidade.

Todo o Cais do Porto, inclusive os seus monumentos, como a cesta da Praça da Cesta são tombados pela lei municipal nº 576 de 20 de dezembro de 1999 e, por isso, devem ser preservados para sempre e todos os cidadões de Canavieiras devem ficar vigilantes para impedir que um eventual prefeito venha a demolir ou dê autorização a terceiros para que venham a demolir estas preciosidades.

Contudo, é uma pena que os prédios entre a Rua do Brejo e a Rua da Jaqueira estejam com as suas fachadas com uma aparência tão abandonada. Esses prédios são também muito belos e fazem parte do conjunto do Cais do Porto e, por isso, deveriam ter mais atenção por parte da prefeitura pois, mesmo em ruínas deveriam ter as suas fachadas pintadas pela prefeitura para que o conjunto arquitetônico do Cais do Porto pudesse ser visto e admirado em toda a sua plenitude.




quarta-feira, 2 de junho de 2021

O Mais Antigo Matadouro Municipal de Canavieiras





O mais antigo Matadouro Muicipal de Canavieiras
na  Ilha Antonio Pedro  com a  Ponte  do Coco em
em primeiro plano - Foto de autor desconhecido  - 
Restaurado por Regis Silbar


Canavieiras, no início do Século XX já teve um Matadouro Municipal que desempenhava as funções de abatedouro com condições de higiene compatíveis com a época, mas ele era muito mais do que útil, pois evitava que os aminais fossem abatidos em lugares insalubres e transmitissem doenças à população através de carnes contaminadas.
O abatadouro, por sinal, estava localizado em um prédio bem bonito, construído de acordo com o estilo neoclássico, com amplas janelas e uma grande porta frontal, com dimensões apropriadas a entrada de animais para abate.
Esse abatedouro estava localizado na Ilha Antonio Pedro e era ligada à Ilha de Canavieiras através da Ponte do Coco, uma pequena ponte de madeira que servia de ligação entre as duas ilhas.
Com o passar dos anos esse abatedouro foi desativado e suas funções foi passada para um novo abatedouro que tinha sido inaugurado na Rua do Mangue, na Ilha de Canavieiras, às margens do Rio Patipe.
Depois de algum tempo esse novo abatedouro também foi desativado e os animais voltaram a ser abatidos em lugares insalubres e vendidos nos açougues da cidade sem nenhuma certificação de origem.
Tem muitas pessoas na cidade de Canavieiras que evitam  consumir as carnes vendidas nos açougues da cidade, preferindo consumir os peixes vendidos nas peixarias ou dos pescadores quando voltam de suas atividades, tudo para evitar doenças parasitárias que recorretemente infestam quem as consomem.

 

sábado, 29 de maio de 2021

Selo de Cem Réis do Ano de 1900 com o Carimbo dos Correios de Canavieiras


Selo de 100 Réis da Série Madrugada Republicana,
 emitido  em  1900,   com  carimbo  de   Canavieiras 
datado de 17-FEV-1908


Selo de 100 Réis da Série Madrugada Republicana, emitido em 1900, com carimbo dos Correios de Canavieiras datado de 17-FEV-1908. Se olharmos com atenção poderemos ver que a impressão do selo está deslocada, isto é, não está centralizada no meio de cada quadro, assim, uma das bordas do primeiro selo está sem a margem branca, enquanto a margem oposta do segundo selo está com excesso de margem branca.

É muito raro encontrar um selo em bom estado com mais de cem anos com o carimbo dos Correios de Canavieiras, ainda mais apresentando um pequeno defeito de deslocamento de impressão, em razão da cidade, no início do Século XX, contar com uma pequena população e, consequentemente, pouco movimento em sua antiga agência dos correios.

 

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Avenida Rio Branco Esquina com Rua Treze - O Principal Cruzamento de Canavieiras em 1959



Avenida Rio Branco esquina com  a  Rua Treze
 em 1959 - Em primeiro plano a Padaria Brasília 
 - Canavieiras-BA - Colorizado por Regis Silbar

 

A esquina da Avenida Rio Branco com a Rua Treze é o principal cruzamento de Canavieiras. Foi lá que foi instalado o primeiro sinal de trânsito da cidade, mas que nunca funcionou realmente. Esse cruzamento é muito perigoso e sempre acontece muitos acidentes, quer por imprudência ou por falta de atenção.

É nesse lugar que está em funcionamento desde meados do Século XX , a mais famosa padaria da cidade, que tem um pão muito delicioso e serve uns sanduiches muito legais para quem está precisando se alimentar.

Também, do outro lado da rua, funciona atualmente um restaurante que vende um acarajé de botar água na boca e que não é muito caro e cabe no bolso de qualquer pessoa que goste de acarajé.

Quando você for a Canavieiras, não deixe de experimentar as iguarias que são vendidas na esquina mais movimentada da cidade e, quando for comer o acarajé, não deixe de colocar bastante pimenta, pois com ela, o acarajé fica muito mais delicioso.