quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Bahia Foot-Ball Club - Talvez o Primeiro Clube de Fubebol de Canavieiras

Bahia Foot-Ball Club de Canavieiras - Foto de 19l0 - O Malho

Canavieiras já teve um bom time de futebol no início do século XX, que talvez até tenha sido o primeiro ou um dos primeiros times de futebol da cidade, que foi até alvo de uma reportagem do jornal O Malho, um dos mais importantes da época, que mais tarde se transformou de jornal em revista satírica.

Este time foi vencedor de algum campeonato que foi disputado em 1910 e, por isso, está ostentando, na foto, em suas camisas, as medalhas de prata que foram conquistadas.

Como podemos observar, a peça mais exótica do uniforme do time são os bonés que, hoje em dia não é mais usado por time nenhum, contudo, as bermudas que usam estariam em moda hoje em dia, já que não são largas e estão abaixo do joelho.

As camisas são de mangas compridas, que hoje só são usadas em regiões mais frias e que, na época, era usada no Brasil só para imitar os times europeus, principalmente os ingleses, localizados em uma região muito fria.

Ao lado, de terno, está a figura do juiz, que na época era chamado pela palavra inglesa "referee". Também, naquela época e até meados dos anos sessenta do século passado, lateral se chamava "offside", escanteio era "corner" falta era "foul", pênalti era "penalty" e assim por diante, tudo era em inglês.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

A Beleza da Antiga Cadeia Pública de Canavieiras

Cadeia Pública Municipal em 1990 - Foto de Regis Silbar

A beleza da arquitetura simples e despojada da Cadeia Pública de Canavieiras, situada na Praça da Bandeira, no Centro Histórico da cidade, é comparável a sua importância para a cidade, já que ela foi arquitetada para se harmonizar com a Prefeitura Municipal, que também estava sendo construída nos anos finais do século XIX, o século de ouro da cidade.

Durante toda a sua existência, o prédio, monumental, embelezou a Praça da Bandeira, servindo de presídio para os maus elementos que toda a sociedade tem. Quem passava em frente ao presídio, podia ver os prisioneiros vendo o tempo passar, às vezes sentados na soleira da janela.

O tempo passou, o prédio continua com a sua arquitetura simples e despojada e com a sua beleza cada vez mais radiante, contudo, a sua função mudou, e para muito melhor, o prédio agora abriga a Biblioteca Municipal, permitindo que todos tenham acesso às mais diversas publicações sem nada pagar.

Se você tiver algum livro e não o deseje mais, faça uma doação à biblioteca. A cidade agradece e nós também.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

A Foz do Rio Pardo em Canavieiras

Foz do Rio Pardo com a Ilha de Atalaia em Segundo Plano
 e a Ilha de Canavieiras, com a Cidade, ao Fundo

A foz do Rio Pardo, um dos muitos rios que nascem em Minas Gerais e desaguam no Oceano Atlântico, fica ao sul da Ilha de Atalaia, uma das muitas ilhas que formam a cidade de Canavieiras, a Princesinha do Sul e uma das mais lindas cidades da Costa do Cacau.

Depois de percorrer muitos quilômetros e antes de desaguar no Oceano Atlântico, o Rio Pardo, em Canavieiras, é margeado por fazendas de Cacau, uma das riquezas que fizeram a cidade prosperar e ser uma das mais ricas do Estado da Bahia nos séculos XIX e XX, face às exportações do produto para os mercados mundiais.

A foz do Rio Pardo é muito movimentada, com embarcações transitando por suas águas rumo à cidade de Belmonte, que é ligada à Canavieiras através de uma hidrovia ladeada por ilhas paradisíacas onde a natureza ainda permanece virgem, aguardando todos que a desejam conhecê-la.

A foz do Rio Pardo é um lugar mágico onde a beleza de suas areias brancas mudam constantemente de lugar enquanto as águas do rio se misturam com as águas do Oceano Atlântico, dando aquele toque de magia que só os lugares abençoados por Deus podem ter.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Professora Florinda Ribeiro Barbosa - A Grande Educadora de Canavieiras

Professora Florinda Ribeiro Barbosa
 com a Indumentária de Formatura em
em 1938

A professora Florinda Ribeiro Barbosa, mais conhecida, em Canavieiras, como Professora Filuzinha ou simplesmente Filu, como era chamada pelos mais íntimos, foi uma professora, formada em Ilhéus, que amava a sua profissão e a sua cidade natal.

Em 1960 ela participou de um concurso público para a função de professora em Brasília que, na época, ainda não era a capital do Brasil. Ela passou em um dos primeiros lugares (página 15 do 1º caderno do Correio da Manhã de 14-02-1960) para exercer a função, mas ela desistiu da posse por amor à sua Canavieiras, embora o salário fosse muito maior e, além de tudo, ainda lhe seria cedido um apartamento funcional mobiliado de forma gratuita, para que ela pudesse se transferir para a futura capital.

Em Canavieiras, ela exercia a função de professora primária municipal e, além deste encargo, ela possuía uma das melhores e mais gabaritadas escolas da cidade: o Educandário São Boaventura, que funcionava na Rua do Brejo, em um lugar com um imenso terreno que dava os fundos para a Rua da Jaqueira e na frente funcionava um cartório, onde trabalhava o Sr. Joel das Neves.

A escola, além de receber os filhos dos mais ricos e abastados fazendeiros e comerciantes de Canavieiras, distribuía bolsas de estudos para os estudantes carentes que fossem aplicados e demonstrassem força de vontade nos estudos. Isto tudo numa época em que as escolas não recebiam benefícios do governo para a distribuição destes benefícios. Tudo era por sua própria conta.

Mas a sua vontade de ajudar o próximo não se restringia apenas à escola da qual ela dirigia e dava aulas. Ela fundou o FAC - Fraterno Auxílio Cristão - de Canavieiras, entidade voltada a ajudar os mais necessitados e aos desamparados, da qual foi a primeira dirigente.

Ela nasceu em Canavieiras em 8 de março de 1918 e veio a falecer em Salvador, mas todo o seu trabalho e atitudes a favor do próximo foram feitos em sua cidade natal.








quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Receita do Saboroso Acarajé de Canavieiras

Acarajé Sendo Frito no Dendê - Um Prato Típico de Canavieiras
O acarajé é um dos pratos típicos mais tradicionais de Canavieiras. É durante a tarde, no quase anoitecer, que ele começa a ser vendido pela cidade por um preço muito pra lá de camarada. Não dá para comer um só de tão gostoso que ele é e, assim, entramos pelo segundo, pelo terceiro e, quem puder e tiver coragem, pelo quarto.

Este quitute é uma delícia, principalmente se for paramentado com bastante pimenta. Se a baiana lhe perguntar se quer quente, pense bem antes de responder, porque quente significa com pimenta e, bem quente, com muito mais pimenta.

Quando você for a Canavieiras, além de conhecer as maravilhadas naturais e a arquitetura das construções da cidade, não deixe de saborear o típico e delicioso acarajé de Canavieiras. Ele é feito na hora e é servido sempre muito bem quentinho. 


INGREDIENTES

- 1/2 quilo de feijão fradinho cru
- 1/2 quilo de cebola
- 3 dentes de alho
- sal a gosto
- 1/2 litro de óleo de milho
- 1/2 litro de azeite de dendê 


RECHEIO DO ACARAJÉ

- 3 xícaras de acarajé
- 150 gramas de camarão seco


MODO DE FAZER

- coloque o feijão fradinho de molho em água fria por 4 horas
- quando o feijão começar a inchar, lave-o com bastante água fria até sair a casca
- passe o feijão sem casca no processador até formar uma massa branca grossa
- bata no processador a cebola e o alho até virar uma pasta
- acrescente à massa de feijão
- passe a massa para panela ou tigela grande e
- com uma colher de pau bata bem a massa do acarajé até que ela triplique de volume (com esse processo a massa ficará bem aerada).
- a massa poderá ficar de véspera na geladeira para realçar o sabor e melhorar a consistência do bolinho de acarajé.


COMO FRITAR O ACARAJÉ

Aqueça uma frigideira funda com a mistura de azeite de dendê e óleo de milho com quantidade suficiente  para cobrir por completo os bolinhos de feijão do acarajé.
Aguarde o óleo ficar bem quente.
Frite os bolinhos usando como medida uma colher de sopa para cada acarajé.
Vire uma única vez.
Corte os acarajés ao meio e recheie com vatapá.
Coloque o camarão seco dentro do acarajé e feche.
Sirva quente.


ACOMPANHAMENTOS DO ACARAJÉ

- Muita pimenta,
- vatapá,
- caruru,
- camarão seco e
- salada de tomate verde, cebola e coentro.


Acarajé Pronto Para Ser Servido - Um Prato Típico de Canavieiras

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Costa do Cacau, a Região da Bahia Onde Está Localizada Canavieiras

Cacaueiro Carregado de Frutos - A Fruta Que Caracteriza a
Costa do Cacau Onde Canavieiras Está Localizada

A Costa do Cacau é uma região turística que vai de Canavieiras, a Princesinha do Sul, até Itacaré, passando por Una, Ilhéus, e Uruçuca e tendo, ainda, o Município de Santa Luzia como participante. Embora não tenha litoral, Santa Luzia, se integra com os demais em razão de sua extensa cultura cacaueira e sua exuberante Mata Atlântica, comuns a todos eles.

Toda a Costa do Cacau, no sul da Bahia, é pontilhada por belas praias paradisíacas, algumas delas, como as de Canavieiras, são formadas por grandes porções de areias monazíticas, dando aquele tom escuro às areias. Estas praias são recomendadas para a cura de diversas doenças da pele e das articulações.

Logo após às praias, indo em direção ao interior, estão as florestas da Mata Atlântica, com as suas grandes variedades de espécimes vegetais, algumas delas endêmicas da região. Tudo isso forma um conjunto de sem igual beleza que deixa os olhos inebriados pela contemplação.

Outro ponto de convergência para a Costa do Cacau são as suas cidades históricas, principalmente Canavieiras, a mais autêntica e conservada do ciclo do cacau, onde os coronéis construíam suas belas residências dentro do conceito de arquitetura típica deste ciclo.

Todas as cidades do ciclo do cacau possuem ricas igrejas, com tudo o que o dinheiro desta riqueza podia comprar, para que as mesmas fossem as mais suntuosas possíveis, com arquiteturas geralmente neogóticas, como as de São Boaventura, em Canavieiras, e a de Nossa Senhora da Piedade, em Ilhéus.

Belmonte, vizinha a Canavieiras, é uma cidade parada no tempo, uma peculiaridade sem igual, já que poucas cidades no Brasil, ficaram paradas no tempo em pleno Século XXI. Porém, nela há muitos monumentos e igrejas que merecem ser vistos. Tudo fruto de uma grande riqueza do passado de uma cidade que parou no tempo.

Em Una, o que vale ser visto, para quem tem dinheiro para se hospedar e gozar de umas ótimas férias é o Hotel Transamérica, na Ilha de Comandatuba, onde as praias são compostas de areias muito brancas e superfinas. A cidade em si, nada tem de especial para ser visto.

Em Ilhéus, a maior cidade da região e capital da Costa do Cacau, há muitas atrações para serem vistas, principalmente às ligadas ao escritor e aos livros de Jorge Amado, como o Vesúvio e o Bataclan. Devem, ainda, ser vistas as praias que ficam na rodovia que liga a cidade a Canavieiras.

Esta região da Costa do Cacau, na Bahia, fica entre a Costa do Dendê e a Costa do Descobrimento, outras duas regiões turísticas da Bahia, dignas e merecedoras de serem conhecidas e que são objetos do desejo de todos brasileiros.

Quando você for a Bahia, não deixe de conhecer a Costa do Cacau e, se você estiver na Costa do Cacau, não deixe de conhecer Canavieiras, a Princesinha do Sul com o seu Cais do Porto e todo o seu casario completamente intacto, vivo e preservado.


As Praias da Costa  do  Cacau São as Melhores da Bahia e a Praia
 da Costa, na Ilha de Atalaia, em Canavieiras, é a Melhor da Costa
do Cacau - Foto de Regis Silbar

sábado, 1 de outubro de 2016

Placa Colocada Pelo Instituto do Cacau da Bahia na Fazenda Cubículo, em Canavieiras

Placa Colocada Pelo Instituto do Cacau na Fazenda Cubículo,
 às  Margens  do Rio Pardo,  em Canavieiras, Versada  Sobre o
Primeiro  Pé de Cacau Plantado no Estado da Bahia - Foto de
Teophilo Murranhy

O Instituto do Cacau da Bahia, colocou, na Fazenda Cubículo, às margens do Rio Pardo, em Canavieiras, uma placa no lugar onde foi plantado o primeiro pé de cacau no do estado, pé este que deu origem a toda a prosperidade que que levou a cidade a ser uma das mais ricas da Bahia até meados da segunda metade do século passado.

Esta placa foi colocada na Fazenda Cubículo na década de trinta, sinalizando, assim, que o cacau era, naqueles tempos idos, digno de placa, por ser uma das maiores riquezas da Bahia e do Brasil, responsável, sozinho, pelo maior valor exportado pelo Estado da Bahia e o segundo do Brasil, logo depois do café.

Quando você for a Canavieiras, não deixe de visitar uma fazenda de cacau. Você se surpreenderá de como a cultura deste fruto é benéfica para a Mata Atlântica, pois ela não a destrói, pois o cacaueiro dela necessita para que os seus frutos possam ser os melhores possíveis.